Conversa ao fim da tarde – 28 de Junho de 2012 – 19 h

Na próxima quinta-feira, dia 28 de Junho de 2012, pelas 19 horas terá lugar mais uma Conversa ao fim da tarde, que será feita pela Inez Wijnhorst, sobre o modo como os padrões respiram.

A artista falará sobre a magia infinita da geometria como suporte de padrões.

Após a conversa é possível jantar no restaurante do Museu Nacional do Azulejo.

 

“Um aspecto deslumbrante dos azulejos são os padrões.

As formas que se repetem e desdobram até ao infiníto.

O que faz com que uma forma se repete perpetuamente? Como é possível?

Quais são as regras que regem este construção?

O que é preciso para que as linhas e as formas se juntam e encaixam na perfeição?

A conversa é fruto do meu desejo de responder a estas perguntas e

de partilhar uma forma de Ver e um modo de ver Forma”.

Inez Wijnhorst

Formada em Pintura na Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa e na Escola Real Superior de Belas Artes, Haia, Holanda. É professora convidada nas disciplinas de policromias (pintura) e técnicas de documentos gráficos, na licenciatura de restauro da Fundação Ricardo Espirito Santo.

Recebeu prémios em concursos de pintura e gravura, dos quais se destacam: Bronze Award, Osaka Trienale Print, Osaka, Japão; Menção Honrosa, Bienal de Pintura Cuidad de Zamora, Espanha; Prémio Amadeo de Souza-Cardoso, Amarante, Portugal; Prémio de aquisição Baviera, X Bienal de Vila Nova de Cerveira; Menção Honrosa. 2º grande prémio BANIF de Pintura; Premio Bonofacio Lázaro, XXXIII Salão de Outono de Plasencia. Espanha.

Está representada em colecções públicas destacando; Osaka Foundation of Culture, Osaka, Japão; Ayuntamiento de Zamora, Espanha; Museum of Engraving Acqui Terme, Italia; Câmara Municipal de Amadora; Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira; Museu Municipal Amadeo de Souza-Cardoso, Amarante; Banco de Portugal; Caja de Extramadura; Espanha, Museu Municipal de Cremona, Italia.

Desde 1991 realiza exposições individuais em pintura, desenho e gravura dos quais se destacam Anunciação- velhos hábitos, novos padrões em 2010 e Under my Skin em 2008 na Galeria Monumental em Lisboa; Inside-Out, 2007, Casa das Artes, Tavira; Jacobs Ladder’s em 2006 na Teoartis Galeria em Évora; Uma história mal contada em 2004 na Galeria Jorge Shirley no Porto; À sombra das entrelinhas em 2001 em Lisboa na Enes Arte Contemporânea e no Porto na Galeria Jorge Shirley, A selva começa aqui em 2001 e A outra face da luaem 2000.

Participou ainda em mais de 100 exposições colectivas em Portugal, Espanha, França, Bélgica, Grécia, Polonia, Macau, Canada, Monáco, Itália, Japão e Brasil.

Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s